Ajude um Animal

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

BERNE vs BICHEIRA

mosca da bicheira Mosca da berne


Quem tem cães e mora em casa, provavelmente já passou por esse problema. Quem jamais passou, certamente já ouviu falar em berne e bicheira. Mas o que são esses problemas. E serão eles distintos ou sinônimos para uma mesma coisa?
Em primeiro lugar, a berne e a bicheira são, sim, coisas distintas, apesar de similares sob alguns aspectos.
Ambas são larvas que parasitam os animais. Têm o formato e o aspecto semelhante – embora a berne seja bem maior do que a larva da bicheira – também conhecida como miíase. As duas são transmitidas por moscas de coloração metálica – muitas vezes chamadas de varejeiras. E, para piorar, as duas larvas podem ser transmitidas para o ser humano. Mas então é ou não é a mesma coisa?
Vamos às diferenças básicas: a mosca da berne (Dermatobia hominis) é de uma espécie diferente da mosca da bicheira (Cochliomyia hominivorax). No caso da berne, a mosca captura outros insetos (como moscas domésticas, por exemplo) e deposita seus ovos sobre elas, utilizando-as como “transporte”. Ela pode, ainda, depositar seus ovos sobre plantas. Os ovos, ao entrarem em contato com a pele íntegra, ali se aderem, até que as pequenas larvas eclodem, penetrando na pele. Então, as larvas começam a se alimentar de tecido vivo, mas sem penetrar na musculatura, ficando apenas sob a pele. E cada larva de berne fica em seu próprio espaço. Ou seja, em cada orifício existe apenas uma larva.
No caso da bicheira, a mosca deposita seus ovos diretamente sobre o hospedeiro, mas não na pele íntegra. Ela é atraída por feridas abertas, e só ali deposita seus ovos. Muitos ovos. As larvas eclodem e rapidamente se instalam na ferida, começando a se alimentar do tecido vivo, devorando pele, músculo, tendões, o que houver pela frente, até sobrar apenas osso. Não há limite para a penetração das larvas da miíase. Um animal ou pessoa que não se tratar pode morrer pela boca voraz das larvas. Em cada orifício de penetração da bicheira (que muitas vezes não são simples orifícios, mas verdadeiros buracos) pode haver várias larvas.
O tratamento para as duas é similar, pois consiste na retirada das larvas e - principalmente no caso das bicheiras – no tratamento subseqüente das feridas que ficam no animal. Há, atualmente, medicamentos que auxiliam no tratamento, matando as larvas de dentro para fora, facilitando a retirada das mesmas e evitando que uma ou outra não seja visualizada, e permaneça devorando seu animal.
A retirada das larvas deve ser feita APENAS por médicos veterinários ou enfermeiros experientes. Isso porque, no caso da berne, a larva secreta uma substância que evita infecções. Mas, se na hora da retirada a larva se partir, não sair completamente, deixar pedaços dentro da pele, haverá uma infecção séria, e tratamento será muito mais difícil. No caso das bicheiras, além de ser um processo doloroso para o animal, muitas vezes há estruturas importantes sendo devoradas, como vasos calibrosos, feixes de músculos ou ligamentos. Se a pessoa não souber exatamente o que está fazendo, pode puxar por engano alguma dessas estruturas, e machucar gravemente o animal.
No caso de suspeita de uma dessas doenças, leve seu amigo imediatamente a seu médico veterinário de confiança. Não perca tempo, porque o tempo, nesse caso, é seu inimigo.

2 comentários:

  1. Adorei! estava precisando saber a diferença entre berne e bicheira para uma prova de Entomologia Agricola.... obrigada

    ResponderExcluir
  2. Adorei, me tirou muitas dúvidas. Obrigada!!!!

    ResponderExcluir